Responsive image


Valores e atividade científica 1,
de Hugh Lacey.
Editora 34/Associação Filosófica Scientiæ Studia/Parque CienTec, 2008.

296pp.
Formato 145x225mm
ISBN: 9788561260002
Preço: R$ 52,00

O livro explora os vários papéis que os valores desempenham em conexão com a atividade científica. Oferece, de início, uma abordagem sistemática dos valores em geral e de como os juízos de valor estão ligados a pressupostos acerca do caráter dos seres humanos e do que se considera possível — abordagem que rejeita tanto as análises subjetivistas dos valores como a concepção amplamente aceita da dicotomia entre fato e valor. Desenvolve em seguida sua argumentação no interior de um sistema de referência que sustenta ser a racionalidade da escolha de teorias na ciência derivada não de regras ou algoritmos, mas do uso de um conjunto de “valores cognitivos” (adequação empírica, poder explicativo, preditividade etc.), cujo grau de manifestação numa teoria constitui o critério pelo qual ela é racionalmente aceitável.

Confira a resenha do livro por Jorge Gilbert Galassi
(Profesor de Sociología y Filosofía de la Ciencia, Facultad de Ciencias Económicas, Universidad de Valparaíso).

 

Hugh Lacey nasceu em 1939, na Austrália, onde iniciou sua formação acadêmica, tendo defendido seu doutoramento em História e Filosofia da Ciência, em 1966, na Universidade de Indiana (EUA). Foi professor nas universidades de Melbourne e de Sydney (ambas na Austrália) e, por três anos, na Universidade de São Paulo (Brasil), transferindo-se em seguida para o Swarthmore College (EUA), onde ocupa a posição de Professor Emérito de Filosofia. É também pesquisador colaborador no Projeto Temático Fapesp intitulado “Gênese e significado da tecnociência”, sediado no Departamento de Filosofia da USP. Em suas investigações, Lacey mobiliza os instrumentos analíticos da Filosofia da Ciência para examinar as práticas científicas contemporâneas, articulando suas dimensões metodológicas e socio-históricas de modo a abordar, em uma perspectiva racional ampliada, as grandes controvérsias socioculturais geradas pelas aplicações tecnológicas do conhecimento científico. Entre seus livros mais recentes, encontram-se Values and objectivity in science (Lexington, 2005), A controvérsia sobre os transgênicos: questões éticas e científicas (Idéias & Letras, 2006) e Valores e atividade científica 1 (Editora 34/Scientiae Studia, 2008).